ATIVIDADES

Joan Miró

ATIVIDADES DA ESCOLA

A transmissão da psicanálise na Escola articula-se pela via da transferência de trabalho com a produção de seus membros. Lacan criou um dispositivo denominado Cartel, que funciona na forma de pequenos grupos com objetivo na produção autoral de cada membro. Eles trabalham ao redor de determinados temas e são compostos por no mínimo 03 pessoas e no máximo 05, tendo MAIS UM como alavanca para fazer fluir a produção dos trabalhos. Ao final de no máximo dois anos o cartel entrega sua produção à Comissão de Cartéis, que cuida de confeccionar o Bloco de Cartéis, que é anexado à nossa Biblioteca junto às publicações da Escola.

 

Esta atividade cumpre o compromisso com as letras de Freud e Lacan, estabelecendo como exigência perene o trabalho de estudo dessas obras.

Acompanhar os sistemas de pensamento de Freud e Lacan conduz ao encontro com um circuito vastíssimo de elementos intelectuais em diversos campos do conhecimento e da cultura. Daí decorre o envolvimento com o estudo e a discussão frequentes de elementos apontados nessas obras e também com elementos das produções contemporâneas.

 

Mapa semanal de grupos e seminários de 2024

 

Visite o nosso Instagram para mais notícias dos nossos eventos e atividades.

A Escola conta com Seminários de Introdução à psicanálise, ministrados por Analistas Membros da Escola; Seminários dos Membros, seminários temáticos; ministrados por Membros da Escola; Seminários dos Seminários e dos Escritos de Freud e Lacan, ministrados por Analistas Membros da Escola; e Seminários de Interlocução, seminários sobre História, Antropologia, Filosofia, Linguística e Sociologia, ministrados por intelectuais da área membros e participantes da Escola.

Mapa semanal de grupos e seminários de 2024

Visite o nosso Instagram para mais notícias dos nossos eventos e atividades.

Espaço de debate, aberto para todos os membros. Instante para uma interlocução pontual sobre as questões contingentes do trabalho com a doutrina freud-lacaniana no cotidiano da Escola.

Evento anual onde se efetiva a interlocução dos membros do Toro numa convergência de encontro das produções do período. Aporte para a coleção dos textos de Antígona.

 

Evento anual que desenvolve uma discussão temática extensa sobre um tema da Psicanálise que contempla nosso interesse em definir um espaço para o encontro com colegas de outras instituições e de outras localidades. O texto resultante do evento será registrado em publicação específica, o ECO.

Evento bimestral no qual o Toro - Escola de Psicanálise recebe interlocutores de outros campos do saber e da arte para um debate que sublinha o interesse e o compromisso com a cultura, o laço social e a política.

O sublime mistério que suspende o sujeito diante do esplendor do objeto artístico evoca a definição lacaniana desse objeto: “o objeto de arte é o objeto elevado à categoria da coisa”. Das Ding, como chamou Freud em “Projeto para uma psicologia científica”, “a Coisa” supostamente perdida e que, no entanto, jamais existiu, exceto como referência para a falta constitutiva do humano.

Contudo, é a partir dessa ex-sistencia que se dá a criação humana ex nihilo, de maneira particular a criação artística, que estabelece a subversão do tempo.

Encontrar na arte elementos que propiciam ampliações para as articulações da Psicanálise foi um caminho apontado por Freud desde os primórdios de suas construções. Lacan sublinha o caminho do cinema mostrando-nos a extrema utilidade de suas metáforas e o da música como representante da complexidade da pulsão invocante. Nestas atividades, membros do Toro e seus convidados assistem e debatem filmes e escutam obras da música de concerto, apresentados por algum estudioso e mediador.