ATIVIDADES

Joan Miró

GRUPO DE ESTUDO

Esta atividade cumpre o compromisso com as letras de Freud e Lacan, estabelecendo como exigência perene o trabalho de estudo dessas obras.

Acompanhar os sistemas de pensamento de Freud e Lacan conduz ao encontro com um circuito vastíssimo de elementos intelectuais em diversos campos do conhecimento e da cultura. Daí decorre o envolvimento com o estudo e a discussão frequentes de elementos apontados nessas obras e também com elementos das produções contemporâneas.

Psicanálise e sexualidades

Coordenação: Eveline Sampaio.
18h às segundas.

Lacan: O Seminário 2 – O eu na teoria de Freud e na técnica da psicanálise

Coordenação: Glauco Rocha.
20h às segundas.

Interpretação dos Sonhos

Coordenação: Mário Pessoa.
21h às segundas.

Lacan: O Seminário 17 – O avesso da psicanálise.

Coordenação: Maria Carolina Marques.
19h às terças.

Lacan: O Seminário 4 – A relação de objeto.

Coordenação: Anamarina Soares.
20h às terças.

Lacan: O Seminário 5 – As formações do inconsciente.

Coordenação: Mário Pessoa.
20h às terças.

Introdução à Filosofia

Coordenação: Arary Galvão.
20h às terças.

Psicanálise com crianças

Coordenação: Maria Carolina Marques.
21h às terças.

Freud: Novas Conferências Introdutórias à Psicanálise

Coordenação: Anamarina Soares.
17h às quartas.

Leitura cronológica das Obras de Freud

Coordenação: Alane Amaral.
18h às quartas.

Intervenção precoce

Coordenação: Adalberto Duarte.
18h às quartas.

Lacan: O Seminário 8 - A Transferência

Coordenação: Paula Quintella.
18h às quartas.

Estruturas do sujeito

Coordenação: Emily Carvalho.

19h às quartas.

Lacan: Seminário 7 - A Ética da Psicanálise

Coordenação: Taciana Mafra.
19h30 às quintas.

Religião e Psicanálise

Coordenação: Pedro Vasconcellos.
20h30 às quintas.

A transmissão da psicanálise na Escola articula-se pela via da transferência de trabalho com a produção de seus membros. Lacan criou um dispositivo denominado Cartel, que funciona na forma de pequenos grupos. Eles trabalham ao redor de determinados temas e são compostos por no mínimo 03 pessoas e no máximo 05, tendo MAIS UM como alavanca para fazer fluir a produção dos trabalhos.

Trabalho de transmissão de um tema da Psicanálise, ministrado por um analista, membro da Escola.

Introdução à Psicanálise

Quinzenal - Quartas às 20h

 

Evento anual onde se efetiva a interlocução dos membros do Toro numa convergência de encontro das produções do período. Aporte para a coleção dos textos de Antígona.

 

Evento anual que desenvolve uma discussão temática extensa sobre um tema da Psicanálise que contempla nosso interesse em definir um espaço para o encontro com colegas de outras instituições e de outras localidades. O texto resultante do evento será registrado em publicação específica, o ECO.

Evento bimestral no qual o Toro - Escola de Psicanálise recebe interlocutores de outros campos do saber e da arte para um debate que sublinha o interesse e o compromisso com a cultura, o laço social e a política.

O sublime mistério que suspende o sujeito diante do esplendor do objeto artístico evoca a definição lacaniana desse objeto: “o objeto de arte é o objeto elevado à categoria da coisa”. Das Ding, como chamou Freud em “Projeto para uma psicologia científica”, “a Coisa” supostamente perdida e que, no entanto, jamais existiu, exceto como referência para a falta constitutiva do humano.

Contudo, é a partir dessa ex-sistencia que se dá a criação humana ex nihilo, de maneira particular a criação artística, que estabelece a subversão do tempo.

Encontrar na arte elementos que propiciam ampliações para as articulações da Psicanálise foi um caminho apontado por Freud desde os primórdios de suas construções. Lacan sublinha o caminho do cinema mostrando-nos a extrema utilidade de suas metáforas e o da música como representante da complexidade da pulsão invocante. Nestas atividades, membros do Toro e seus convidados assistem e debatem filmes e escutam obras da música de concerto, apresentados por algum estudioso e mediador.